Artigos

Ansiedade Infantil Fique atento ao seu filho!!!

É sabido que a Ansiedade é um estado emocional normal e adaptativa que nos deixa em alerta e nos ajuda a superar situações que julgamos perigosas e desafiantes. Mas, não são só os adultos que sofrem com essa tal ansiedade. Sim, nossos pequenos também passam por situações que despertam aquela famosa ansiedade. Atualmente dados apontam que a cada 10 crianças uma preenche os critérios para algum transtorno ansioso ao longo da infância. Você tinha pensado nisso?
Os indícios podem ser verificados por comportamentos e sensações como: sentimentos atrelados a uma situação desagradável que pode ser real ou imaginária, que nos faz sentir angustiados, estressados ou chateados, porém esses fatores nos deixam em alerta e podemos avaliar melhor a situação e ainda aprendermos com isso.
Se analisarmos a vida atualmente observa-se que temos uma vida agitada (inclusive das crianças). Os desajustes familiares, o uso excessivo das tecnologias (como celulares, tablets, vídeo games, etc); a competitividade excessiva estimulada pela sociedade desde muito cedo, também são consideradas algumas das causas que podemos atribuir a esse “fenômeno moderno” (SOARES, 2017). O autor ainda traz que fatores como a genética, o temperamento de cada criança e seus fatores cognitivos também podem ser causas.
Sabe-se que é comum as crianças apresentarem ansiedade e agitação perante as expectativas de experiências que estão por chegar, tais como: o período de volta as aulas, viagens em família ou de uma avaliação escolar, são algumas das situações que podem desencadear, pois estará exposto ao desconhecido, sendo assim, qualquer ser humano entraria em estado de alerta, e com as crianças não seria diferente.
Outro momento que desperta tal sensação e que muitas vezes acaba interferindo inclusive nos pais é quando ocorre a separação física entre a criança e eles (frente a mudanças significativas), que podem ocorrer na chegada de um irmão, perda de um ente querido, entre outras situações.
Quando não é dado a devida atenção a ansiedade podem haver consequências, como por exemplo a baixa autoestima, isolamento social, depressão, fobia escolar, evitação de novas situações, inadequação social e dificuldades escolares. Quanto menor for a criança maiores serão as dificuldades em identificar e nomear seus sentimentos e então pedir ajuda. Sendo assim, faz-se importante que os pais observem e busquem orientação de um profissional.
Levando em consideração o que foi abordado nesse artigo, vamos nos atentar aos sentimentos que nossos pequenos trazem, pois se for observado tais sintomas em relação aos comportamentos do seu filho, você poderá encontrar orientação para poder ajuda-lo o quanto antes. Não deixe que isso aconteça com seu filho!!!!

Monize Salvatti Scudero – CRP: 06/124916
Psicóloga Especialista em Psicopedagogia

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo