Acesse nosso Facebook

Brasil

Funcionário de escola ameaça crianças autistas com máquina de choque

Avatar

Publicado

no dia

Um funcionário da Escola Estadual de Ensino Especial Livre Aprender, em Cuiabá, foi flagrado ameaçando crianças autistas com uma máquina de choque. A situação ocorreu na última quarta-feira (13) na instituição localizada no Bairro Areão, na capital.

Segundo a Polícia Militar, o suspeito, que tem 25 anos, fugiu da escola, mas foi identificado. Ele foi localizado até esta sexta-feira (15).

Inicialmente nenhum aluno ficou ferido. De acordo com testemunhas, outros funcionários viram o colega com a arma e chamaram a polícia.

A diretora afirmou à PM que o funcionário trabalha como auxiliar de sala e estava com um taser – uma arma de choque que dispara emite uma descarga elétrica capaz de provocar dor e afastar um possível agressor. A arma tem potência de 300 watts e foi abandonada pelo funcionário.

A diretora relatou que o funcionário estava ameaçando crianças autistas na instituição. As próprias crianças, que não falam, gesticularam chorando apontando para o bolso do funcionário.

Uma professora perguntou ao funcionário o que ele tinha no bolso. O rapaz tirou a máquina de choque do bolso e fugiu.

Quando os policiais chegaram à escola apreenderam a máquina. Um boletim de ocorrência foi registrado pela PM na Central de Flagrantes de Cuiabá.

Investigação

A Polícia Civil informou  que o caso será levado nesta sexta-feira (15) para a Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica). A diretora e os funcionários também devem prestar depoimento na delegacia.

Outro lado

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) de Mato Grosso que, por meio de nota, informou que o auxiliar de turma estava há 30 dias atuando na escola. No mesmo dia do incidente o auxiliar foi desligado do quadro de profissionais.

Informou também que a contratação de auxiliar de turmas é realizada pelas unidades escolares […] dispõe sobre critérios e procedimentos para a organização e funcionamento dos serviços da educação especial, nas escolas, centros especializados e nas escolas comuns.

A escola atende 140 alunos com diversas deficiências. O incidente ocorreu em uma sala com alunos autistas.

Publicidade