Conecte-se conosco

Capivari

Famílias já solicitam para sair das casas no Moreto

Avatar

Publicado

em

A Defesa Civil de Capivari (SP) converteu, na tarde desta quinta-feira (28), para estado de alerta a situação do município. O Rio Capivari, que amanheceu com nível de 1,62 metro, alcançou 1,94 durante a tarde. Com isso, as famílias que moram em áreas de risco podem deixar as casas em caráter preventivo.

O manancial começa a transbordar quando atinge 2 metros. Como a previsão é de mais chuva na sexta-feira (1º), há o risco de ocorrer alagamentos. As áreas de riscos incluem os bairros Moreto, Santa Rita de Cássia e parte da região central.

Na manhã desta quinta, a Defesa Civil decretou estado de atenção, anterior ao alerta. Como o nível continuou a subir, o órgão passou a visitar as casas em locais de risco para orientar as famílias sobre a saída.

Se os moradores optarem por sair, uma equipe da prefeitura realiza a retirada dos móveis e a família é encaminhada para um abrigo ou para casa de parentes.

Balanço


Até o início da noite desta quinta, sete famílias já tinham deixado as casas. Todas vivem na Rua Tiradentes. Outras 14, que moram no Moreto, também estão em vias de sair das residências.

O abrigo oferecido pela prefeitura é o Centro de Ginástica. As famílias removidas escolhem se vão para o abrigo ou para casa de parentes e amigos.

Segundo o diretor da Defesa Civil, Júlio Capóssoli Neto, o nível do rio Capivari do rio é monitorado por meio de uma régua instalada na ponte da avenida Pio XII e outra, eletrônica, que fica na ponte do Santoro.

2ª vez no ano


Esta é a segunda vez em 2019 que a cidade entra em estado de alerta. Na primeira, em janeiro, o município chegou em alerta máximo e 250 casas foram atingidas pela água. Famílias foram encaminhadas para abrigos e casa de parentes.

Na ocasião, o rio alcançou mais de três metros com as chuvas que atingiram a região, e a cidade teve mais de 20 pontos de alagamento.

Abertura das comportas


Pela sexta vez em 2019, a ocorreu a abertura da Barragem Leopoldina, que fica no trecho do rio em Rafard (SP) e alivia o nível do manancial, que escoa para o Rio Tietê.

A Defesa Civil afirma que realiza o Plano de Ação Imediata desde o início do ano, que traçou metas para “preservação de vidas e redução de danos materiais e ambientais, decorrentes de possíveis alagamentos associados ao período chuvoso”.

Os estágios


Estágio de observação: quando não existem anormalidades no nível de água do rio.
Estágio de atenção: quando há alguma alteração e é feita vistoria de campo em áreas de alagamento.
Estágio de alerta: remoção preventiva de parte da população residente em áreas de risco.
Estágio de alerta geral: remoção de toda a população da área de risco.

Publicidade