Conecte-se conosco
 

Legislativo

Vereador Alexandre Fontolan sugere estudos para parcelamento de alvará

Avatar

Publicado

em

O vereador Alexandre Fontolan (PSDB) usou a Tribuna Livre da 12ª Sessão Ordinária, na noite de 11 de julho, para comentar sobre a necessidade de parcelamento de alvará expedido pela Prefeitura Municipal de Rafard para o funcionamento de estabelecimentos comerciais.


Fontolan disse que já fez uma indicação para que a Prefeitura estude a melhor forma de realizar o parcelamento de pedido de alvará para os autônomos. “Todos os anos eu peço para que a Prefeitura faça o parcelamento do alvará, como é feito em outros municípios, aqui em Rafard tem que ser pago à vista, e assim, muitas pessoas me procuraram porque tem que pagar à vista, está na hora de ter essa possibilidade”, enfatizou.

CARTÃO MATERIAL ESCOLAR


Na mesma noite, o vereador falou sobre a implantação do cartão material escolar no município. Segundo Fontolan, ele e a vereadora Ângela Barbosa fizeram um projeto de lei para que o município forneça cartão de material escolar aos alunos. O vereador disse que o pedido foi negado, uma vez que já havia licitação para a compra do material. O vereador contou que várias mães o procuraram pedindo material escolar para o segundo semestre letivo. “Muitas mães me procuraram pedindo para que a Prefeitura tenha o cartão de material escolar porque agora que as aulas vão recomeçar, os alunos precisam de material e tem pais que não podem comprar”, disse.


O parlamentar ainda relatou que os alunos receberam bilhete das escolas para que os pais reponham o material escolar que está faltando aos alunos. “Segundo os pais, a Prefeitura ficou de fornecer material no meio do ano, as crianças receberam bilhete para limpar a caixa de material e repor todo o material que falta e que os pais devem comprar. Se a mãe não tem condição de comprar, deve ir ao Departamento de Educação e solicitar esse material”, enfatizou.


MELHORES RESPOSTAS AOS REQUERIMENTOS


Ao finalizar sua fala, o vereador Alexandre disse que as respostas aos requerimentos precisam ser mais corretas e estar de acordo com o que acontece na Prefeitura. “A resposta ao requerimento que fiz para saber sobre o cartão educação não está de acordo, e a mesma coisa quanto ao alvará e as outras respostas aos requerimentos, que precisam ser revistas porque vêm umas respostas que não dá para acreditar”, finalizou.