Acesse nosso Facebook




Mundo

Homens são presos por suspeita de transmitir ao vivo cenas com 1.600 hóspedes de motel

Avatar

Publicado

no dia

A polícia sul-coreana prendeu dois homens por espionarem 1.600 hóspedes de motéis utilizando câmeras ilegais que filmavam e transmitiam as imagens ao vivo. O crime rendeu cerca de 6,2 mil dólares nos últimos três meses, disse a polícia nesta quarta-feira (20).

A polícia informou que os homens e outras duas pessoas se apresentaram como clientes para instalar secretamente as câmeras em 42 quartos de 30 lugares do país desde agosto do ano passado.

As imagens das câmeras, escondidas em caixas de televisão, tomadas e secadores de cabelo, foram transmitidas ao vivo em um site, acrescentou a polícia. Os equipamentos foram comprados pela internet no exterior.

“Foi o primeiro caso que pegamos em que os vídeos foram transmitidos ao vivo pela internet”, disse a polícia em um comunicado.

As filmagens ilícitas aumentaram com o uso crescente de dispositivos móveis. A indústria de música pop da Coreia do Sul se recupera de um escândalo envolvendo o cantor e personalidade de TV Jung Joon-young, acusado de compartilhar vídeos que ele fez secretamente durante o sexo.

O escândalo do K-pop também envolveu Lee Seung-hyun, um membro da boy band BIGBANG, que é mais conhecido por seu nome artístico, Seungri. O jovem de 28 anos é suspeito de pagar prostitutas para empresários estrangeiros a fim de arrecadar investimentos em seus negócios.

Mais de 6.600 casos de filmagem ilícita foram reportados à polícia no ano passado, ou cerca de um quinto de todos os casos de abuso sexual investigados, acima dos 3,6 por cento em 2008, disseram os promotores.

Em 2018, milhares de mulheres tomaram as ruas de Seul, a capital sul-coreana, para protestar contra o abuso e outras violências sexuais, e exigiram uma punição mais rigorosa.

A lei foi alterada em novembro passado para endurecer as penas não apenas para filmagens ilegais, mas também para a distribuição de imagens sem o consentimento, o que poderia trazer penas de prisão de até cinco anos ou multas de até 26.527 mil dólares.

Na quinta-feira (21), um tribunal de Seul revisou um mandado de prisão para Jung. Em comunicado, ele admitiu todas as acusações.

Informações do G1

Publicidade

Mais lidas