Acesse nosso Facebook
     

Notícia

Prefeitura de Rafard toma medidas administrativas impopulares

Avatar

Publicado

no dia

O Prefeito de Rafard, César Moreira, anunciou nesta semana diversas medidas administrativas impopulares com o objetivo de obter o reequilibro financeiro. Segundo ele com a crise e o aumento das despesas o valor arrecadado tem sido inferior aos gastos públicos e medidas administrativas impopulares se fizeram necessárias.

Dentre os cortes estão o corte de gratificações para servidores comissionados e efetivos, corte de horas extras de servidores e diminuição no valor do reembolso escolar de 50 para 30%.

Contratos com empresas terceirizadas também serão renegociados para diminuição dos serviços e alguns serviços temporariamente suspensos.

Situação econômica

De acordo com César, essas medidas se fazem necessárias devido a diversos fatores tanto atuais, como é o caso do aumento da inadimplência e aumento de despesas, quanto erros administrativos passados que estão impossíveis de serem sustentados economicamente com a atual arrecadação.

Para o Prefeito as principais causas que resultaram nestas medidas foram:

Inadimplência de parte da população com seus impostos: com dívida ativa mais de 6 milhões e meio – valor corrigido de impostos não pagos como água, ISS e IPTU.

Precatório pago neste ano de 2015 no valor de cerca de 80 mil reais, de outra administração.

Aumento no valor da conta de energia que praticamente dobrou sendo elevada de cerca de 40 para cerca de 80 mil reais.

Gasto com aterro e transporte com o lixo que antes não existia e hoje gira em torno de cerca de 20 mil reais mensais.

Contrapartidas de obras.

Manutenção de lâmpadas antes realizada pela CPFL.

Diferença entre valor arrecadado e valor gasto da Contribuição de Iluminação Pública (CIP), uma vez que a prefeitura arrecada cerca de 10 mil e paga mensalmente cerca de 18 mil.

Diferença no valor arrecadado e pago com plano de saúde dos servidores – uma vez que o valor descontado do servidor é de cerca de 45 mil e o gasto tem sido mais de 100 mil reais por  mês.

Valor menor de repasses estaduais e federais que têm sido constantes.

“A Prefeitura funciona como a casa da gente. Se o valor que recebemos é menor do que gastamos precisamos rever nossos gastos para honrarmos nossos compromissos com quem estamos comprando,” enfatizou o prefeito.

Para César, a população pode contribuir com melhorias em sua cidade pagando em dia suas contas.

“Muitas vezes vejo pessoas utilizando serviços de saúde municipal que estão devendo 7, 10 mil reais em impostos. Muitas vezes são essas pessoas que nos cobram na rua para tapar um buraco, ou para melhorar os serviços públicos oferecidos. Quero dizer a essas pessoas que não há mágica. Uma pessoa que não tem salário, não tem como fazer compras em um supermercado, um município que não arrecada o suficiente não tem como continuar investindo. Seis milhões de reais fariam uma diferença enorme no orçamento municipal e certamente gerariam o equilíbrio financeiro da prefeitura para que ela mantivesse todos os serviços municipais sem cortes,” registrou.

O Prefeito informou ainda que continuará a tomar todas as medidas administrativas necessárias para obter o reequilibro das contas públicas.

Publicidade